TUBARÃO BANGUELA

Com texto e direção de Rita Batata, Tubarão Banguela estreou no Teatro Sérgio Cardoso dia 26 de outubro

Espetáculo adulto narra diferentes pontos de vista dos frequentadores de uma praia que presenciam um acidente quase fatal. Elenco traz Rafael Lozano, Bella Marcatti, Leandro D`Errico, Mariana Leme e Rafael Pimenta.

Diversas histórias se entrecruzam em Tubarão Banguela, com direção e texto de Rita Batata, que estreia no dia 26 de outubro, no Teatro Sergio Cardoso, na Sala Paschoal Carlos Magno, e segue em cartaz até 26 de novembro. Idealizado pela RIMA Coletiva, o espetáculo traz no elenco Rafael Lozano, Bella Marcatti, Leandro D`Errico, Mariana Leme e Rafael Pimenta.

A trama se passa em uma praia do litoral brasileiro, onde o perigo está à espreita. Um acidente quase fatal está prestes a unir em uma faísca de segundo a vida das pessoas que se encontram naquele lugar. O surfista e sua namorada entediada curtem a brisa salgada, o bombeiro, sua ex-atual esposa e a filhinha resistem ao calor abafado e um cão e um velho solitário se entregam à maresia inebriante.

A encenação investiga a voz narrativa e seus infinitos pontos de vista, acompanhando como essas histórias estão conectadas. Não há personagens clássicos; os narradores são testemunhas oculares da própria história e, assim, manipulam o tempo e o espaço ao flertar com narrativas cinematográficas.

A montagem de Tubarão Banguela explora a presença do ator como eixo central. Borrando as fronteiras entre intérprete e personagem, o elenco se debruça em diversos personagens e por vezes vozes narrativas. Os mecanismos estão expostos em um palco sem coxias. Os elementos cênicos estão no campo do simbólico, a palavra e a matéria física dos corpos procuram guiar a imaginação do espectador.

“Uma dramaturgia contemporânea não só por se debruçar sobre a sociedade atual, mas também por seus aspectos formais e estruturais. Poderia dizer que a peça é sobre relações que acabaram, mas não deixaram de ser. É sobre a passividade, a inabilidade, a domesticação ou ainda sobre quando se decide deliberadamente abandonar, esquecer e fugir. Quando se assume esses verbos para a vida, qual é o mundo que se forma? A metáfora do título da peça é a melhor tentativa de expor sua temática. Tubarão Banguela é um predador que perdeu seu status, mas sorrateiramente continua sendo ameaçador”, explica a diretora e dramaturga Rita Batata.

O texto foi escrito quando Rita estava prestes a se formar no curso de dramaturgia na SP Escola de Teatro, sob orientação de Marici Salomão. A peça foi convidada a integrar o projeto “SP Dramaturgias”, que reúne artistas interessados em estudar o fazer dramatúrgico.

Sobre Rita Batata

A atriz e dramaturga paulistana Rita Batata recebeu menção honrosa na 3ª edição do “Concurso Feminina Dramaturgia – Prêmio Heleny Guariba” em 2014, por “Isso Tudo”, seu primeiro texto teatral. Formou-se no curso de Dramaturgia da SP Escola de Teatro em 2017.

Sob encomenda, escreveu a peça “SEMPRENUNCA” para os alunos de teatro do Colégio Santa Cruz, em 2017, e, atualmente, escreve outra obra para a turma de 2018. Atuou e escreveu a dramaturgia da peça “Ao Pé do Ouvido”, com a técnica Verbatim, junto com Herbert Bianchi e Zé Henrique de Paula em 2015. E, com a mesma técnica, atuou em “Hotel Mariana”, dirigida por Bianchi, com depoimentos de sobreviventes da tragédia de Mariana. Com o espetáculo “Kiwi”, sob direção de Lucianno Mazza, Rita foi agraciada como melhor atriz no Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem 2016 (antigo Coca-cola/FEMSA).

Sua estreia no cinema aconteceu em 2007, no filme “Não Por Acaso”, de Philippe Barcinski, pelo qual ela ganhou o prêmio de melhor atriz coadjuvante no 4º Arraial Cine Fest da Bahia. Protagonizou, ainda, “De Menor”, com direção de Caru Alves de Souza, que venceu o prêmio de melhor filme no Festival do Rio em 2013 e rendeu para ela os prêmios de melhor atriz no 16º Recontres du Cinéma Sud-Américain, em Marselha, na França, e no 19º Cinemato – Festival de Cinema de Cuiabá

Sobre a RIMA Coletiva

A RIMA Coletiva é fruto de uma sólida parceria entre as artistas Mariana Leme e Rita Batata, que produzem juntas há 10 anos. Elas trabalharam com diversos artistas e diretores ao longo desses anos, escrevendo paralelamente suas carreiras solo no teatro, televisão e no cinema.

Essa trajetória teve início no ano de 2007, quando ambas integraram o Núcleo Experimental de Teatro do SESI, sob coordenação de Isabel Setti, e ainda fizeram parte do elenco das peças “Sacrifício”, dirigida por Cibele Forjaz, e “Desatino”, por Inês Aranha e Guilherme Sant’Anna.

Em 2011, desenvolveram o espetáculo “As Desgraçadas”, de Felipe Sant’Angelo, livremente inspirado na obra “As Criadas”, de Jean Genet, sob direção de Beatriz Morelli. A peça representou o Brasil no FESTLIP – Festival de Teatro da Língua Portuguesa – 2013, no Rio de Janeiro. Em 2017, estrearam “Pequenas Certezas”, da dramaturga mexicana Bárbara Colio, com direção de Fernanda D’Umbra.

SINOPSE

Em uma praia do litoral brasileiro, o perigo está à espreita. O surfista e sua namorada entediada curtem a brisa salgada, o bombeiro com a ex-atual esposa e sua filhinha resistem ao calor abafado e o cão e o velho solitário se entregam à maresia inebriante. O que eles não sabem é que um acidente quase fatal está prestes a unir a vida deles em uma faísca de segundos. Atenção: evite o banho de mar.

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia e Direção: Rita Batata Elenco: Rafael Lozano, Bella Marcatti, Leandro D’Errico, Mariana Leme e Rafael Pimenta Desenho de Luz: Aline Santini Direção de Arte e Figurino: Bia Pieratti e Carol Reissman Cenário: Marcelo Maffei Direção de movimento: Ana Paula Lopez Trilha Sonora: Thiago Iglesias Fotografia: Daniel Spalato Programação visual: Bárbara Coimbra Produção Jurídica: DKG Soluções Lúdicas Assessoria de imprensa: Pombo Correio Idealização e Produção: RIMA Coletiva

SERVIÇO

Tubarão Banguela, de Rita Batata Teatro Sérgio Cardoso – Sala Paschoal Carlos Magno Rua Rui Barbosa, 153, Bela Vista Temporada: de 26 de outubro a 26 de novembro Sextas e sábados às 19h30 e domingos e segundas às 20h Ingressos: R$20 (inteira) R$10 (meia-entrada) Venda de ingressos: na bilheteria do Teatro Sérgio Cardoso – de terça a sábado, das 14h às 19h (antecipada) ou até o início do espetáculo. Compras pela internet no site www.ingressorapido.com.br ou presenciais nas lojas FNAC Informações: (11) 3288-0136 Duração: 80 minutos Classificação: 14 anos Capacidade: 144 lugares Gênero: Comédia dramática

Procurar por Tags

© 2017 por Cine Cultura

Redes Sociais

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
  • Google ícone social Places

Tel: (11) 3402-1541 - (11) 96348-3680

Atibaia - SP